Presidente do Parlamento aponta como prioridade o reforço da democracia

O presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, eleito nesta quinta-feira, apontou com principal desafio o reforço da democracia e da unidade em benefício do povo.

Fernando da Piedade Dias dos Santos

Fernando da Piedade Dias dos Santos

Fernando da Piedade discursava na abertura da Reunião Constitutiva da IV Legislatura da Assembleia Nacional.

Depois de elogiar o grau de civismo dos cidadãos nas eleições gerais de 23 de Agosto, pelo sentido patriótico demonstrado, apelou para uma maior aproximação ao cidadão e atenção aos problemas do povo com iniciativas legislativas e acções de fiscalização.

Para o líder parlamentar, o trabalho do deputado deve ser visível, contribuindo para o bem-estar dos cidadãos, independentemente da formação política de cada um.

 

Garante que a Assembleia Nacional deverá continuar a privilegiar e a promover o diálogo com todas as forças sociais e estimular a participação da sociedade civil, colocando o cidadão no epicentro dos debates.

Afirmou que o Parlamento é marcado por um maior equilíbrio entre as forças políticas que para si propiciará fortes debates sobre os temas mais candentes do país.  

 

Fernando da Piedade Dias dos Santos afirmou que a situação política, económica e social do país exige a formulação de ideias que ajudem o país a superar a crise para voltar a colocar o país no trilho do desenvolvimento económico e financeiro para melhorar as condições de vida dos cidadãos, consolidar a democracia e preservar a paz.

 

Pede a todos que trabalhem na defesa do bem comum e no interesse público, com a participação de todos os grupos parlamentares nos próximos cinco anos.

 

Considera indispensável a elevação do nível do debate e  manifestou a disponibilidade da Assembleia Nacional para continuar a trabalhar com Executivo e o poder Judicial numa cooperação institucional estreita e profícua.

Fernando da Piedade valorizou também o reforço da cooperação com os parlamentos de outros países, com as organizações inter-parlamentares e outros fóruns internacionais de que é membro de pleno direito.

Disse continuar actual o compromisso com a modernização parlamentar, destacando a reforma da lei orgânica da Assembleia Nacional.    

 

No quadro das eleições gerais de 23 de Agosto de 2017, a IV Legislatura da Assembleia Nacional vai contar com 150 deputados do MPLA, 51 de UNITA, 16 da coligação CASA-CE, dois do PRS e um da FNLA, num total de 220 parlamentares.
 

Angop

Lusa