Fernando da Piedade Dias dos Santos pede trabalho "mais visível” aos deputados

O presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos "Nandó", reeleito hoje no cargo pelos restantes deputados, comprometeu-se em "favorecer os consensos" na legislatura que se inicia, mas pediu um trabalho “mais visível" aos parlamentares.

Parlamento angolano em debate difícil para aprovar resolução sobre Parlamento Europeu

Parlamento angolano em debate difícil para aprovar resolução sobre Parlamento Europeu

O presidente daquele órgão de soberania discursava hoje, em Luanda, na reunião constitutiva realizada na sede da Assembleia Nacional, pouco depois de ter sido eleito para o cargo na IV Legislatura, que se prolonga até 2022, na sequência das eleições gerais de 23 de Agosto.

Apesar de prometer trabalhar para os consensos no parlamento, Fernando da Piedade Dias dos Santos (eleito deputado pelo MPLA) assumiu "como prioridade" a defesa dos "altos interesses da nação angolana" neste novo mandato como presidente da Assembleia Nacional.

"É aqui que, unidos, iremos trabalhar para dar resposta aos anseios do povo que nos elegeu", apelou o presidente do parlamento, no discurso que marca o arranque da IV Legislatura angolana, que o próprio reconheceu que ficará desde já marcada "por um maior equilíbrio das forças" representadas, o que proporcionará "fortes debates".

O Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) continua a ser o partido maioritário no parlamento, com 150 deputados, apesar de ter perdido 25 eleitos face à legislatura anterior. Já as duas principais formações políticas da oposição praticamente duplicaram o número de deputados eleitos, passando a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) a somar 51 e a Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação eleitoral (CASA-CE) um total de 16.

 

Num quadro de crise económica e financeira decorrente da quebra nas receitas da exportação de petróleo, o líder do parlamento angolano admitiu que surgem aos deputados "novos desafios" que necessitam de "respostas urgentes".

"Com este quadro, antevejo uma legislatura muito exigente", disse Fernando da Piedade Dias dos Santos, apontando igualmente a necessidade de o parlamento apoiar a formulação de ideias para colocar Angola de novo no trilho do desenvolvimento económico, sendo para tal fundamental a qualidade legislativa.

 

"Um outro desafio da IV Legislatura será o de reforçar a unidade e traduzir os ganhos em benefícios para o povo que nos elegeu. Quer através de uma maior aproximação ao cidadão, como através de uma maior atenção e dedicação aos problemas do povo, com mais iniciativas legislativas e ações de fiscalização", apontou.

 

Dirigindo-se diretamente aos 220 deputados eleitos - dos quais 219 tomaram hoje posse -, Fernando da Piedade Dias dos Santos exortou os parlamentares a uma maior visibilidade das funções que ocupam no mandato que agora iniciam e que se prolonga até 2022.

 

"O trabalho de deputado deve ser visível para que este órgão de soberania tenha a dignidade merecida. Por isso, incentivo os senhores deputados a trabalharem com dedicação, pois é obrigação de cada um de nós contribuir para o bem-estar dos cidadãos, independente da filiação política a que pertencemos", afirmou o presidente da Assembleia Nacional.

 

 

Lusa

Lusa