Presidente de Cabo Verde destaca progresso social e económico de Angola

Angola é um país que pode proporcionar a todos os angolanos progresso social, económico e cultural, com justiça e inclusão, afirmou nesta terça-feira, em Luanda, o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca.

Jorge Fonseca

Jorge Fonseca

O Chefe de Estado de Cabo Verde falava à imprensa, na Praça da República, momentos antes do início da cerimónia de investidura do Presidente da República, João Lourenço, eleito nas eleições gerais de 23 de Agosto.

Segundo Jorge Fonseca, Angola é um grande país que tem todas as condições para se afirmar, cada vez mais, no plano africano e mundial.

 

O Presidente augura que as autoridades angolanas, nomeadamente o novo Chefe de Estado, João Lourenço, aposte na continuação da amizade entre Cabo Verde e Angola.

Assistem à cerimónia de investidura, a ser orientada pelo Presidente do Tribunal Constitucional, Rui Ferreira, os chefes de Estado da África do Sul, da Guiné-Bissau, da Guiné Equatorial, da Guiné Conacry, da Namíbia, do Côte d'Ivoire, do Rwanda, de Portugal, da Zâmbia, do Congo Brazzaville, do Congo Democrático, do Togo e do Gabão.

 

Estão igualmente presentes o vice-presidente do Zimbabwe, o primeiro-vice-presidente de Cuba e os primeiros-ministros do Tchad e da República Centro-Africana.

 

Na sequência das eleições gerais de 23 de Agosto último, o MPLA obteve quatro milhões, 164 mil e 157 votos, correspondentes a 61,08% dos votos, elegendo 150 deputados, seguido pela UNITA com um milhão, 818 mil e 903 votos, correspondentes a 26,68% dos votos, elegendo 51 deputados, e a CASA-CE com 643 mil e 961 votos, correspondentes a 9,44% dos votos, com direito a 16 deputados.

 

O PRS teve 92 mil e 222 votos, correspondentes a 1,35% dos votos, conquistando dois deputados, a FNLA 63 mil e 758 votos (0,93%), elegendo um deputado, e a APN, com 34 mil e 976 votos (0,51%) insuficiente para conseguir assento no parlamento.

 

João Lourenço é o terceiro presidente da República de Angola, que alcançou a independência em 11 de Novembro de 1975.

 

Sucede José Eduardo dos Santos, que assumiu a liderança do país, em 1979, após a morte do primeiro presidente da República, António Agostinho Neto (1975-1979).

 

Depois das eleições de 1992, o país só conheceu regularidade dos processos eleitorais a partir de 2008, devido o conflito armado que terminou em 2002.

 

ANGOP

ANGOP