Isaías Samakuva e UNITA recebidos por centenas de apoiantes no Mbanza Congo

Centenas de pessoas receberam em festa no Mbanza Congo, na noite de sábado, o cabeça de lista da UNITA para as eleições gerais angolanas, Isaías Samakuva, que se estreou em acções de campanha na província do Zaire (Norte).

Presidente da oposição angolana questiona interesse de \

Presidente da oposição angolana questiona interesse de \"tantos bancos\" em Angola

Os apoiantes de Isaías Samakuva - centenas de jovens vestidos com camisolas com as palavras de ordem do partido - acompanharam a chegada dos carros da comitiva do candidado, a bordo de carrinhas apinhadas de gente, em pequenos autocarros e em dezenas de motorizadas.

Muitos fizeram um cordão humano - com as mãos dadas - em torno dos carros da comitiva, enquanto entoavam a canção de campanha da UNITA e gritavam palavras de ordem como "Samakuva number one", uma referência ao facto de o candidato do partido do galo negro ser o primeiro colocado nos boletins de voto.

Naquela que foi a primeira acção de campanha na província do Zaire, a rececção a Samakuva provocou um engarrafamento na pequena localidade de Mbanza Congo, que se notabilizou recentemente por albergar as ruínas do centro histórico - incluindo a Catedral de São Salvador do Congo - classificadas como património da humanidade pela UNESCO. Trata-se da primeira classificação do género atribuída a Angola por aquela Organização da ONU para a Educação, Ciência e Cultura.

Em declarações aos jornalistas à chegada à sede local do partido, Isaías Samakuva disse que traz aos eleitores do Mbanza Congo uma mensagem de mudança, lembrando que a população da província deveria estar a beneficiar de parte dos lucros do petróleo que nela é extraído.

"Temos uma mensagem clara, que fala da necessidade de mudança. Nós podemos dar muita coisa [aos cidadãos zairenses]. A mudança de que estamos a falar é profunda, porque foca aspectos da vida social, política e económica", disse o candidato da UNITA.

A questão do petróleo também será tema em agenda no Zaire, que inclui - além de um comício no Mbanza Congo - uma acção de massas em Cuimba e uma visita à região petrolífera do Soyo.

"Foram prometidos 10% dos lucros do petróleo para esta província, mas os 10% nunca apareceram", salientou Samakuva.

A festa da UNITA durou pela noite dentro, com os apoiantes a entoarem o refrão da canção de campanha: "Primeiro o angolano, segundo o angolano, terceiro o angolano. Angolano sempre".

Questionado sobre o local de origem dos apoiantes - nomeadamente se o partido fez deslocar os jovens para o local dos comícios - o director de protocolo do candidato da UNITA afirmou que os populares que receberam em festa o candidato são da região.

Angola realiza eleições gerais a 23 de Agosto, num ato eleitoral marcado pela ausência do Presidente Eduardo dos Santos - há 38 anos no poder - do boletim de voto. O cabeça de lista do MPLA - partido que governa Angola desde 1975 - será o general João Lourenço, ministro da Defesa.

Lusa